01 July 2006

Eu queria um homem passional e inteligente. Que me equilibrasse mas me deixasse louca. Que escrevesse - não que fosse escritor, por favor. Que simplesmente escrevesse coisas que me fizessem fazer aquela cara que eu faço quando me acertam os botões. Eu queria um homem inteligente e que não achasse que eu reclamo demais, apesar de eu reclamar de tudo. Eu praticamente me comunico através de reclamações. Mas é assim que é. Eu queria um homem que gostasse de música boa, que não tivesse medo de se jogar de uma ponte de mãos dadas comigo. Eu queria um homem que entendesse que demoro 50 anos para me arrumar e não achasse isso frescura, e que entendesse que eu preciso ficar sozinha e não fosse grudento, mas fosse um pouco obsessivo, porque isso me faz sentir importante e normal, porque eu sou um pouco obsessiva. Que não fosse muito junkie, só um pouquinho, e que bebesse bastante mas conseguisse ficar sem beber bastante. Que me achasse linda e me dissesse que meu nariz é lindo, mas não se importasse com o fato de que ele vai mudar. Que gostasse de gatos e me trouxesse café na cama às vezes. E não achasse que eu sou mãe dele, nem tentasse ser meu pai. Que conseguisse ficar horas simplesmente falando e escutando, e que escutasse de verdade que nem eu escuto, e que conseguisse falar dele sem ser chato. Que me sacasse de cara em vez de me julgar pra depois me conhecer. Que soubesse bater e acariciar que nem a Nina Simone fazia com o piano dela. Que calasse a minha boca. Que não me mandasse pensar menos. Que tivesse aqueles olhos.

Eu queria um monte de coisas. Teoria.

2 comments:

Cananéia ::: said...

Teoria do Caos.
Sincronicidade.
Magia.

Amei teu post.Quase me sinto a pessoa certa,ou aquela para quem dirigiu o texto...não fosse o fato de não nos conhecermos,teria certeza de que foi prá mim...

Mas...não exatamente um poeta ou escritor...mas serve um caoticista-discordiano-dadaísta??

:::

Anonymous said...

Quando vc encontrar um desse, me apresenta o irmão.

Marina