23 June 2006

Eu queria acreditar, mas não consigo.
Doente, triste. *suspiros*
"tem coisas que nunca mudam"

Castrado de alma e sem saber fixar-me,
Tarde a tarde na minha dor me afundo...
Serei um emigrado doutro mundo
Que nem na minha dor posso encontrar-me?...

Mário de Sá-Carneiro
Tem horas que eu gostaria de acreditar simplesmente no que me dizem...
mas
não dá mais.



Quando olhaste bem
Nos olhos meus
E o teu olhar era de adeus
Juro que não acreditei
Eu te estranhei me debrucei
Sobre o teu corpo
E duvidei
E me arrastei e te arranhei
E me agarrei nos teus cabelos
No teu peito
Teu pijama
Nos teus pés
Ao pé da cama

Sem carinho, sem coberta
No tapete atrás da porta
Reclamei baixinho

Dei pra maldizer o nosso lar
Pra sujar teu nome
Te humilhar
E me vingar a qualquer preço
Te adorando pelo avesso
Só pra mostrar que ainda sou tua
Até provar que ainda sou tua


19 June 2006

Porque ele é mais importante para mim do que parece, e foi desespero que experimentei quando vi que perdi, ou talvez nunca possui.
Mas eu o amo. Amo de verdade, sem necessidades absurdas, sem cobranças. Puro e simples.
Amo dormir abraçada e sentir sua respiração, sentir você perto de mim.
E não pense em coisas mundanas. É muito mais além.
Meu menino, meu amigo, meu "irmãozinho", meu amor. Indepedente de qualquer coisa.
Frá.
Te amo.
Independente de tudo.
Simples assim.


Goodbye My Lover

Did I disappoint you or let you down?
Should I be feeling guilty or let the judges frown?
'Cause I saw the end before we'd begun,
Yes I saw you were blinded and
I knew I had won.
So I took what's mine by eternal right.
Took your soul out into the night.
It may be over but it won't stop there,
I am here for you if you'd only care.
You touched my heart you touched my soul.
You changed my life and all my goals.
And love is blind and that
I knew when,
My heart was blinded by you.
I've kissed your lips and held your head.
Shared your dreams and shared your bed.
I know you well,
I know your smell.
I've been addicted to you.
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.
I am a dreamer but when I wake,
You can't break my spirit - it's my dreams you take.
And as you move on, remember me,
Remember us and all we used to beI've seen you cry,
I've seen you smile.
I've watched you sleeping for a while.
I'd be the father of your child.
I'd spend a lifetime with you.
I know your fears and you know mine.
We've had our doubts but now we're fine,
And I love you,
I swear that's true.
I cannot live without you.
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.
And I still hold your hand in mine.
In mine when
I'm asleep.A
nd I will bear my soul in time,
When I'm kneeling at your feet.
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.
I'm so hollow, baby,
I'm so hollow.
I'm so, I'm so,
I'm so hollow.

14 June 2006

Sensação terrível, e nem gostaria de nomeá-la, sob o risco de torná-la ainda mais palpável, real.

Silêncio velado, gritos mudos, a boca seca.
Sede.

Entregaria o leme da minha vida nas suas mãos.
Cansei de tentar manter algo que pareça coerente, em linha reta.

Quero bater contra a parede e sentir a sensação do sangue escorrendo até os lábios; metálico e salgado.

Cheiro de flores no meu pescoço, cheiro de polvóra nos meus dedos, hálito de enxofre.
Ácido, básico, neutro.

Deslizando.

Puxando a cadeira, fazendo sexo, dançando no palco, beijando bocas, estraçalhando corações: parece já um século.

Menos é menos, que multiplicando pode se tornar mais de algum modo que não lembro como.
Devoro.

Furem meus tímpanos, estuprem meu gosto, eu gosto de selvageria.

Rasgo sua camisa vermelha, rasgo sua pele branca até se tornar vermelha.
Pronto, para que uma camisa?

Coloco fogo no seu jeans predileto usando seu perfume.
Quase posso vê-lo queimando, você dentro.

Morda minhas coxas até sangrar, deixe marcas roxas por todo meu corpo: heis meu troféu.

Sorria, eu só estou na beira da loucura, ainda não cheguei lá...

12 June 2006

Sleep Together

Os olhos negros perdidos na extensão pálida da pele, fina e frágil, quente, parecendo quase se desprender do corpo nu. Caminhando com as pontas dos dedos, aprendendo seus caminhos, os lugares secretos que faziam estremecer-se, se contorcer, gemer tão levemente que em seus corpos todos os pêlos eriçavam-se, uma súplica de paixão não-verbal. Desfrutavam desse prazer todas as noites e isso lhes tomava todo seu tempo, preenchia todos seus dias.

Não podiam falar daquele amor que não conheciam e nem sabiam explicar, as palavras se tornavam ásperas, punhais rasgando a pureza que existia entre eles.

De olhos fechados respiravam seus aromas, e em meio a uma multidão poderiam reconhecer suas mútuas presenças, como um enorme ímã que levava seus pés ao encontro um do outro. Aspiravam seus corpos, seus cabelos, o ar quente que emanavam. Podiam sentir suas almas em suas bocas em beijos doces, inefáveis, selvagens. Os contornos eram tão claros que os cegavam, eles era uma orquestra de gostos e sensações, sinestésicos, anestésia geral. Aqueles corpos fléxiveis que se abriam ao prazer, que se atiravam um no outro sem medos. Sabiam que haviam achado seu refúgio, ali, quando um se via nos olhos do outro. Tudo parecia ter lógica.

A paz só era conhecida quando descansavam em seus peitos, libertos do resto do mundo, da vida. Tudo excitava o desejo, e a distância pontencializava loucura. A sombra que um deixavam no outro era visível a olhos nu, causando desconforto em quem reconhecia a felicidade tão explícita, em estado bruto. Ela lhe pede tudo o que possui: a si próprio, ele. Ele lhe entregava seu medo e seu claustro. Ela, sua vida.

Ela disse que jamais esqueceria seus sentimentos e momentos em folhas amareladas guardadas em caixas, trancadas em gavetas esquecidas. E era com pânico que lembravam que nada disso era real, que não passavam de delírios, e quando se encontrava, estava apenas a observar seu sorriso naquela única foto distorcida. Uma noite, nenhum dia, nenhuma luz. Desespero, lágrimas, felicidade. O sono falta e os sonhos invadem a lúcidez.

Mas quando ela adormece extenuada, em sono ele lhe acorda com beijos. Por isso nunca soube quanto tempo havia passado, mas sabia da chegada, da partida e da saudade.

"If we sleep together
Will you like me better
If we come together
We'll go down forever
If we sleep together
Will I like you better
If we come together"

09 June 2006

Mataram Bandinni, o meu Arturo.
Estréia hoje o filme do meu livro favorito em todo mundo: Pergunte ao Pó, do meu amado e idolatrado Fante. E assassinaram a história, aquele não é meu Bandinni. Aquele nem chega perto de Bandinni, não tem a força, não tem a graça, nem a desgraça estampada no rosto. As roupas! Limpas, novas. Bandinni usava roupas velhas, não ganhava muito dinheiro escrevendo, quase nem se sustentava! Suas roupas tinham o pó do deserto impregnado na trama do tecido.
Irei assistir o filme, mas não me peçam para reconhecer Badinni...

08 June 2006

Gosto de ver você dormir que nem criança com a boca aberta
O telefone chega sexta-feira
Aperto o passo por causa da garoa
Me empresta um par de meias
A gente chega na sessão das dez
Hoje eu acordo ao meio-dia, amanhã é a sua vez

Vem cá, meu bem, que é bom lhe ver
O mundo anda tão complicado
Que hoje eu quero fazer tudo por você.

Temos que consertar o despertador
E separar todas as ferramentas
Que a mudança grande chegou
Com o fogão e a geladeira e a televisão
Não precisamos dormir no chão
Até que é bom, mas a cama chegou na terça
E na quinta chegou o som

Sempre faço mil coisas ao mesmo tempo
E até que é fácil acostumar-se com meu jeito
Agora que temos nossa casa é a chave que sempre esqueço

Vamos chamar nossos amigos
A gente faz uma feijoada
Esquece um pouco do trabalho
E fica de bate-papo
Temos a semana inteira pela frente
Você me conta como foi seu dia
E a gente diz um p'ro outro:
- Estou com sono, vamos dormir!

Vem cá, meu bem, que é bom lhe ver
O mundo anda tão complicado
Que hoje eu quero fazer tudo por você

Quero ouvir uma canção de amor
Que fale da minha situação
De quem deixou a segurança de seu mundo
Por amor
Por amor
Luzes e sentido e palavra - Palavra é e o coração não pensa


Ontem faltou água, anteontem faltou luz
teve torcida gritando quando a luz voltou
Não falo como você fala mas vejo bem o que você me diz.


Se o mundo é mesmo parecido com o que vejo
prefiro acreditar no mundo do meu jeito,
E você estava esperando voar
Mas como chegar até as nuvens com os pés no chão?


O que sinto muitas vezes faz sentido
E outras vezes não descubro o motivo
Que me explique porque é que não consigo ver sentido
No que sinto, no que procuro e desejo que faz parte do meu mundo


O arco-íris tem sete cores e fui juiz supremo
Vai, vem embora, volta
Todos têm, todos têm suas próprias razões.


Qual foi a semente que você plantou? Tudo acontece ao mesmo tempo
Nem eu mesmo sei direito o que está acontecendo.
E daí, de hoje em diante, todo dia vai ser o dia mais importante.


Se você quiser alguém pra ser só seu
É só não se esquecer eu estarei aqui


Não digo nada, espero o vendaval passar
Por enquanto eu não sei
O que você me falou me fez rir e pensar
Porque estou tão preocupado por estar tão preocupado assim.


Sou bicho do mato, mas se você quiser alguém pra ser só seu
É só não se esquecer eu estarei aqui
Se você quiser alguém pra ser só seu
É só não se esquecer eu estarei aqui
Se você quiser alguém pra ser só seu
É só não se esquecer eu estarei aqui
Se você quiser alguém pra ser só seu
É só não se esquecer eu estarei aqui


Ou então não terás jamais a chave do meu coração

06 June 2006

Cansei dessas baboseiras.
Hoje descobri que talvez eu esteja doente. Mas não estou nem um pouco preocupada. Isso não me manterá longe das minhas metas.
Meus porres tem sido homéricos, coisa de voltar tropeçando, cambaleando sozinha pra casa de madrugada. Lindo isso.

&

Sabe, nunca passei um dia dos namorados legal, com jantar, flores, vinho, sexo selvagem, você sabe, essas coisas idiotas que todo mundo cobiça, mesmo que não assuma.
Nunca, na vida inteira.
E tenho duas opções nesta merda de dia idiota que está chegando para me assombrar.
1. Comprar uma caixa de Dormonid©, tomar na noite do dia 11 e só acordar no dia 13, revigorada.
2. Fazer uma promoção "Deixe a Marcela feliz".

O que vocês acham?
Eu acho que não consigo comprar remédios de tarja preta sem receita. Então vamos à promoção.

ALGUÉM VAI TER QUE ME LEVAR PARA JANTAR NO DIA DOS NAMORADOS.
Nem que seja comer dog no Black Dog. E eu quero vinho. E quero flores e jazz e um cara que consiga não mentir por duas horas. E que tenha lido Fante, Bukowski e goste de Nina Simone e de Miles Davis.
...Ou uma caixa de Dormonid. Alguém aí tem uma caixa de Dormonid sobrando?

05 June 2006

Eu não sei ainda a resposta.
Aliás, sei. Esse fim de semana foi um inferno. Tudo deu errado, e ainda tive que decidir isso.

Não sei porque você, logo agora, mudou de idéia, ou vislumbrou algo...
Mas sinto muito. Não vou cair.
Não vou mais me deixar levar pelo o que senti por você, e sofrer, porque iremos embora, e será nunca mais.
E eu não acredito.
A verdade é: sinto que não será aqui, mas é como se algo me esperasse.
Eu sinto.
E sinto muito, ou nem tanto...



As Flores do Mal

Eu quis você e me perdi
Você não viu e eu não senti
Não acredito nem vou julgar
Você sorriu, ficou e quis me provocar
Quis dar uma volta em todo o mundo
Mas não é bem assim que as coisas são
Seu interesse é só traição

E mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais

Tua indecência não serve mais
Tão decadente e tanto faz
Quais são as regras?
O que ficou?
O seu cinismo essa sedução
Volta pro esgoto baby
Vê se alguém lhe quer

O que ficou é esse modelito da estação passada
Extorsão e drogas demais
Todos já sabem o que você faz
Teu perfume barato, teus truques banais
Você acabou ficando pra trás

Porque mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais

Volta pro esgoto baby
e vê se alguém lhe quer